Averbação

Os registros paroquiais costumavam ser feitos em livros separados: um para batismos, um para casamentos e um para óbitos, embora houvesse também livros mistos, contendo registros de casamentos e batismos, por exemplo.

Mesmo que pareça lógica, essa organização pode trazer complicações quando um desses livros deixa de existir. Podemos ter a sorte de localizar o assento de batismo de um antepassado, mas ter o azar de descobrir que o livro de registros de casamentos da mesma freguesia se perdeu ou foi destruído.

A sorte é encontrar averbações, registros de eventos – por exemplo, de casamentos – feitos à margem de livros contendo registros de natureza diferente – por exemplo, de batismos -, porém relacionados às mesmas pessoas.

Eis um exemplo de minha árvore familiar que não é meu antepassado direto:

alberto_pinto

Batismo de Alberto – 27/03/1887 – Barcos, Tabuaço, Viseu

Aqui a transcrição completa do assento:

Aos 27 dias do mês de março do ano de 1887, nesta igreja paroquial de Barcos, concelho de Tabuaço, diocese de Lamego, da mesma freguesia, batizei solenemente e pus os santos óleos a um indivíduo do sexo masculino a quem dei o nome de Alberto, que nasceu nesta freguesia às sete horas da noite do dia 25 do mês de fevereiro do ano de 1887, filho legítimo do nome de José Augusto Pinto, de profissão jornaleiro, e de Maria da Luz, naturais desta freguesia, recebidos na freguesia de Barcos e paroquianos da mesma, moradores na Rua do Cimo de Vila, neto paterno de José Antonio Pinto e de Maria Delfina Carvalho, e materno de José Antonio dos [Santos] e Leonor Augusta. Foi padrinho Maximiano da Silva, solteiro, jornaleiro, e madrinha [Rosalina] Rosa, solteira, jornaleira, os quais todos sei serem os próprios. E para constar se lavrou em duplicado este assento, que depois de lido e conferido perante os padrinhos, comigo o não assinaram por não saberem escrever. Era ut supra. – o pároco João Caetano Soares

Aqui a transcrição da averbação feita na margem:

Casou catolicamente em Barcos, no dia 19 de novembro do ano corrente, com Josefa de Jesus, natural de Sendim, deste concelho. Registro número 80 do ano corrente. Tabuaço, 31/12/956

A averbação permite deduzir que Alberto se casou com 69 anos, o que parece impossível. De fato, não é. Talvez ele já vivesse com Josefa de Jesus, e o casamento tenha ocorrido apenas para oficializar perante a Igreja uma relação prévia duradoura. Mas isso ainda está para ser descoberto.


José Araújo é linguista e genealogista amador.