Parlamentar

Uma base de dados talvez não muito explorada pelos pesquisadores é o Arquivo Histórico Parlamentar. Essa base, segundo a descrição oficial, contém:

a informação estruturada de acordo ​com as normas internacionais de descrição arquivística, relativa a todos os documentos produzidos e recebidos pela instituição Parlamentar no decorrer da sua atividade, desde 1821, quando se reuniram pela primeira vez as Cortes Gerais, até à atualidade.

Pois foi nessa base que localizei uma petição de José Pinto Rebello de Carvalho (1788-1870), primo de minha trisavó paterna. A versão digitalizada do documento não está disponível para consulta, porém é possível ler no site do AHP um sumário de seu conteúdo.

Redigida na época em que José Rebello ainda era estudante de Medicina em Coimbra, a petição foi dirigida à Comissão de Petições das Cortes Ordinárias de 1822-1823 com o intuito de solicitar uma licença de dois meses para que pudesse se deslocar até sua vila natal de Barcos a fim de tratar de questões relacionadas à sua nomeação como “partido médico” da vila.

barcos
Barcos, Tabuaço, Viseu – Fonte: Google Maps

O sumário ainda traz uma explicação a respeito dos partidos médicos, que eram clínicos e cirurgiões – foram profissões distintas por muito tempo – contratados e pagos pelas câmaras municipais para atendimento gratuito à população pobre, pelo que recebiam um vencimento anual fixo.

A descoberta abriu um pequeno capítulo na vida desse parente de quem tanto já falei por aqui.


José Araújo é linguista e genealogista amador