Batalhas

A carreira do Tenente Caetano Pinto Rebello (ca. 1792 – ca. 1876), meu primo de quarto grau, está documentada nos arquivos do Exército de Portugal. O que eu pude descobrir a respeito dele sem recorrer diretamente a essa instituição está registrado em outro texto.

Para saber mais, foi necessário solicitar ao Arquivo Histórico Militar um orçamento para envio de arquivos específicos. Alguns meses após a solicitação e o pagamento do valor proposto no orçamento, recebi um CD contendo as imagens dos registros solicitados. Essas imagens permitiram descobrir mais sobre esse parente distante.

Um dos detalhes descoberto nos registros foi que Caetano alistou-se como voluntário aos 19 anos. Ficou evidenciado também que ele assentou praça e fez juramento em 1/01/1818 no Regimento de Infantaria N° 23, o qual seria extinto com o fim da Guerra Civil em 1834. Informa-se ainda nos registros que seria casado, embora a única mulher com quem consta que tivesse tido filhos – Dona Maria Augusta Pinto – tenha nascido apenas em 1/05/1820 e seu primeiro filho – Júlio Pinto Rebello – tenha nascido apenas em 22/06/1839. Pode-se pensar em um casamento anterior, ainda não descoberto.

Outra novidade trazida pelos registros fornecidos pelo Exército Português foi a relação das ações militares de que Caetano participou: campanha de 1826-1827 contra a usurpação – de d. Miguel – e batalhas em Coruche, Cruz dos Morouços, Ponte Ferreira (Vouga) e na defesa das linhas do Porto. Em todas as batalhas, diga-se, as forças miguelistas foram sempre numericamente superiores. Ainda assim, terminaram derrotadas pelas tropas liberais de d. Pedro I(V).

Battle_of_Ferreira_Bridge

Batalha de Ponte Ferreira, 23/06/1832 – A. E. Hoffman – Fonte: Wikipedia

Na defesa das linhas do Porto, segundo os registros obtidos, Caetano foi gravemente ferido. No entanto, ele sobreviveu para constituir numerosa família em sua terra natal de Barcos.


José Araújo é linguista e genealogista amador.

1 comentário »