Polícia

Meu avô Antônio Maria Pinto de Araújo teve dois casamentos. Sou neto de Josefa, com quem ele se casou aos 50 anos, em 1918, depois um breve período de viuvez decorrente da perda de sua primeira esposa Luiza de Macedo, com quem ele chegou no Porto de Santos, São Paulo, em 14 de abril de 1905, trazendo os sete filhos que tiveram em Portugal. Quando meu avô chegou, aqui já se encontravam seus cunhados Vasco e Maximiano de Macedo, irmãos de Luiza.

Embananado

Quem tem ascendência escrava em sua árvore familiar pode ter muita dificuldade para encontrar documentos e outros registros que lhe permitam conhecer suas origens. Apenas para citar uma questão bastante frequente e incômoda para os genealogistas, os assentos de batismo de filhos de escravos não costumavam informar os sobrenomes – apelidos, como se diz em Portugal – dos pais e muito menos informavam os nomes dos avós. Em alguns casos, até se encontram referências a supostas origens étnicas, como Cabinda, Guiné, Mina e Angola – p.ex.: Antônio Mina, José Cabinda. Elas, no entanto, não são confiáveis, pois os africanos eram capturados…

Jornais

A descoberta da existência de antigos jornais locais em cidades pequenas ou médias é sempre um achado para o genealogista ou pesquisador de história da família. Muitas vezes, a busca por informações de antepassados nessas fontes economiza horas de pesquisa em livros paroquiais e de cartório/conservatória. Um caso recente em minha pesquisa comprova, ainda que de forma um tanto diversa, o valor dessas fontes de informação.