Extemporâneo

Em minhas pesquisas em assentos paroquiais de batismo, já encontrei alguns casos interessantes, como o de escravos batizados na idade adulta, certamente pela necessidade de serem convertidos à fé cristã depois de trazidos à força desde o outro lado do Atlântico. Mas encontrei também outros casos – que avalio como curiosos – de batismos não tão tardios, mas realizados depois […]

Leia Mais →

Ilustre

Nos portais de algumas localidades portuguesas existem páginas dedicadas às pessoas ilustres que nelas viveram. Tais páginas podem conter informações úteis para nossa genealogia quando temos a certeza de que nossas famílias são originárias dessas localidades.

Leia Mais →

DigiGov

A plataforma DIGIGOV – Diário do Governo Digital (1820-1910) permite a consulta por texto em cerca de 30.000 edições do jornal oficial do Estado Português que foram publicadas entre 16 de setembro de 1820 e 5 de outubro de 1910.

Leia Mais →

Pobríssimos

Os assentos paroquiais – de batismo, casamento e óbito – nos fornecem informações preciosas sobre as origens de nossos antepassados que nos permitem reconstruir os ramos de nossas árvores familiares. Mas eles costumam fornecer também dados que nos permitem descobrir em que condições viveram nossos familiares.

Leia Mais →

Ötzi

Em 19 de setembro de 1991, um casal alemão em férias nos Alpes, entre Suíça e Itália, deparou-se com o que parecia ser um cadáver cujo tronco emergia da camada de gelo. Eles anunciaram a descoberta ao proprietário de uma estalagem, que chamou a polícia. A suposição inicial era que se tratasse da morte acidental de um montanhista ocorrido talvez […]

Leia Mais →

Valongo

43 No dia 6 de abril corrente, desapareceu um moleque por nome José, nação Benguela, idade pouco mais ou menos 17 anos, com os sinais seguintes: gordo, baixo, bem retinto, com um ferro no pescoço e com três carimbos no peito que são JJS. Quem deste tiver notícia, dirija-se à Rua do Valongo nº 91 que se gratificará o seu […]

Leia Mais →

Escrava

É comum acreditar que famílias estabelecidas há séculos no Brasil tenham em sua composição genética elementos dos três grandes grupos formadores: o indígena, o europeu e o africano. Pelo mesmo raciocínio, isso não ocorreria em famílias estabelecidas mais recentemente, por volta do século XX, por exemplo, nas quais um desses elementos poderia existir de forma exclusiva – caso de minha […]

Leia Mais →