Floresta

Por vezes nos deparamos com a registos de pessoas que acreditamos serem nossos parentes, porém inexistem provas documentais suficientes para termos essa certeza. Nesses casos, uma estratégia possível é a criação de uma árvore genealógica provisória em um sítio como o MyHeritage.

Caos

Em texto anterior, abordei a importância dos relatos, histórias ou causos de família para a pesquisa genealógica. Essa importância se revelou há alguns meses quando, em conversa com uma prima de terceiro grau, ela informou que sua mãe era assinante de um jornal local – o Correio da Lavoura, fundado em 1917 – cujos proprietários (os Belém de Azeredo na geração atual) fariam parte de nossa família (os Pereira Belém). Algum tempo depois de ouvir esse relato, iniciei a busca pela possível relação entre as famílias, o que envolveu uma pesquisa em trabalhos acadêmicos, em registros cartoriais e em edições do jornal.

Dispersos

A família Rebosa, de minha avó paterna, é oriunda da freguesia de São Mamede de Ribatua, no concelho de Alijó, distrito de Vila Real. A localidade foi vila e sede de concelho entre 1162 e o início do século XIX. Contava em 1864 com pouco mais de 1500 habitantes. Em 2011, entretanto, lá havia apenas pouco mais de 700 almas. Grande parte dos habitantes deve ter saído da região à busca de oportunidades melhores nas cidades ou mesmo no exterior, como acredito ter ocorrido com minha família já na primeira década do século XX.

Antagonista

A seção Figuras Ilustres do portal do município português de Tabuaço, em Viseu, informa que José Pinto Rebello de Carvalho (1788-1870) foi um escritor, político e médico muito envolvido na causa do liberalismo e cita alguns dos principais eventos de sua biografia e dos textos que ele publicou. Do texto descritivo apresentado, extraio a seguinte passagem, com meus destaques no texto: