Navegante

Júlio Pinto Rebello (1839 – ?) foi um primo de minha trisavó paterna sobre quem já escrevi outros textos aqui no blog. Durante uma busca por seu nome no Google – ainda falarei sobre o uso dessa ferramenta na pesquisa genealógica -, encontrei uma menção no Correio Mercantil, vista abaixo, a certo “portuguez Julio Pinto Rebello” que teria chegado à capital do Império do Brasil em 1º de novembro de 1862. Segundo informações da base de dados GERMIL, ele deveria ser segundo sargento nessa época.

correiomercantil
Correio Mercantil – 2 e 3/11/1862

Diante da possibilidade de se tratar da mesma pessoa, fiz uma pesquisa por seu nome na base de dados de titulares de passaporte no site do Centro de Estudos da População, Economia e Sociedade – Cepese. Após algumas tentativas, a busca por “Júlio Pinto Rebelo” retornou o resultado positivo que se vê abaixo.

cepese
Fonte: Cepese

Segundo os dados dessa base, Júlio, filho de Caetano Pinto Rebelo, era titular de um passaporte, solteiro, tinha 19 anos e seu destino era Maceió. Em consulta ao CEPESE, informaram que seria possível obter, mediante o pagamento de uma taxa de serviço, informações adicionais, tais como o número do passaporte, o número do livro que o continha e o arquivo distrital onde o mesmo se encontrava atualmente.

Com as informações adicionais enviadas pelo CEPESE, localizei a imagem digitalizada, que se vê abaixo, do pedido de passaporte de número 1569, emitido em 1º de junho de 1858, no livro 3281 do Arquivo Distrital do Porto. Além da descrição física de Júlio – 1,65m, rosto comprido, cabelos e olhos castanhos – , o passaporte informa que sua viagem seria por 30 dias e que viajaria só.

passaporte
Passaporte de Júlio Pinto Rebello – 1/06/1858 – Arquivo Distrital do Porto

A simples comparação de sua idade no registro acima com a data da nota do Correio Mercantil sugere uma incorreção, pois Júlio deveria ter 23 anos – não 19 – quando chegou ao Brasil em 1862. É possível que ele de fato tenha vindo ao Brasil aos 19 anos, embora eu ainda não tenha encontrado nenhum registro de sua chegada.

Mas é certo que ele veio ao Brasil quando já tinha mais de 19 anos, pois, mediante busca em periódicos da Hemeroteca Digital Brasileira, descobri outros registros de chegada em que ele é nomeado entre os anos de 1862 (já citado) e 1871, como se pode constatar na lista abaixo, sendo que os três primeiros registros de 1867 tratam da mesma chegada em maio daquele ano:

  1. Correio Mercantil, e Instructivo, Politico, Universal (RJ) – 1862 – Edição 303
  2. Jornal do Brasil (RJ) – 1867 – Edição 32
  3. Diário do Rio de Janeiro (RJ) – 1867 – Edição 114
  4. Jornal do Commercio (RJ) – 1867 – Edição 128
  5. Diário do Rio de Janeiro (RJ) – 1867 – Edição 152
  6. Correio Mercantil, e Instructivo, Politico, Universal (RJ) – 1868 – Edição 252
  7. Diário do Rio de Janeiro (RJ) – 1869 – Edição 183
  8. Diário do Rio de Janeiro (RJ) – 1871 – Edição 112

Que razão Júlio teria para vir ao Brasil tantas vezes ainda não é possível afirmar. Talvez fosse marinheiro mercante, talvez tivesse negócios de família de que tivesse de cuidar.

Ainda há muito por descobrir sobre Júlio – onde viveu, em que trabalhou, se teve família, onde faleceu -, porém este texto demonstra como pode ser necessário navegar por diferentes ferramentas e bases de dados na busca de informações sobre apenas um antepassado.


José Araújo é linguista e genealogista amador.

1 comentário

  1. […] texto anterior, eu já havia apresentado o “portuguez Julio Pinto Rebello”, um primo de minha trisavó, que […]

Os comentários estão encerrados.